Apresentação

Baseado em uma série de conversas com pessoas presas em penitenciárias do município do Rio de Janeiro, Ô, LILI procura estabelecer uma conexão critica e criativa entre o universo prisional de regime fechado e a realidade dos espaços populares cariocas, submetidos hoje a uma série de restrições, como fronteiras do tráfico, muros e controle armado da polícia. Seguindo a linha de trabalho que vem se consolidando no grupo desde 2005, o processo de criação do espetáculo partiu de uma pesquisa de campo, realizada nos presídios Lemos Brito, em Bangu, e Oscar Stevenson, em Benfica, ambos no Rio de Janeiro. Ao longo de dois meses, foram mais de 1.200 minutos de conversas e entrevistas, cujo foco não eram os crimes supostamente cometidos pelos presos, a especificidade das penas de cada um deles, nem tampouco as possíveis denúncias ou queixas que quisessem fazer contra o sistema prisional. Ao contrário, o que se procurou explorar foi uma dimensão mais subjetiva da vida em regime fechado: a maneira como se constrói a intimidade em um ambiente cuja premissa é a subtração da privacidade dos indivíduos. Com Ô LILI (grito de liberdade usado pelos presos no momento de sua soltura), a Cia Marginal leva ao público um pouco do cotidiano de uma prisão de regime fechado. Os rituais de convivência, as hierarquias, a longa espera por cartas e visitas, os anestésicos espirituais são alguns dos temas que perpassam as relações entre seis presidiários na tentativa de sobreviver à falta de privacidade e ao tempo estático.

 

Histórico

Ô,LILI estreou em maio de 2011, no teatro Maria Clara Machado (Planetário da Gávea), com patrocínio da Secretaria de Cultura do Estado/RJ, através dos Editais de Cultura 2010. Entre junho e julho desse mesmo ano, o espetáculo esteve novamente em cartaz na cidade, no Centro de Artes da Maré, com recursos do Prêmio Microprojetos Mais Cultura – Territórios de Paz. Entre abril de 2012, reestreou no Teatro da Cia dos Atores, pelo FATE 2011. Em 2014, Ô,LILI foi um dos espetáculos apresentados durante a temporada de repertório da Cia Marginal no Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto, dentro da programação da ocupação artística Desmonte Marginal, realizada pelo grupo em parceria com a Cia Monte de Gente.

 

Projeto Gráfico

Olili_telas01_3_750
Cartaz

Olili_telas03_750
Programa

 

Ficha Técnica

Realização: Cia Marginal e Redes de Desenvolvimento da Maré
Elenco: Diogo Vitor, Jaqueline Andrade, Geandra Nobre, Priscilla Monteiro, Rodrigo Souza e Wallace Lino
Direção: Isabel Penoni
Pesquisa e criação: Diogo Vitor, Geandra Nobre, Isabel Penoni, Jaqueline Andrade, Priscilla Monteiro, Rodrigo Souza, Rosyane Trotta e Wallace Lino
Dramaturgia: Isabel Penoni e Rosyane Trotta
Direção de arte: Rui Cortez / colaboração para as remontagens de 2012 e 2013 – Carlos Alberto Nunes e Gabriella Marra
Direção e preparação musical: Isadora Medella
Trilha sonora instrumental original: Diogo Vitor, Isadora Medella, Rodrigo Souza e Sinésio Jefferson
Iluminação: Guiga Ensá e Luiz André Alvim
Elenco: Diogo Vitor, Jaqueline Andrade, Geandra Nobre, Priscilla Monteiro, Rodrigo Souza e Wallace Lino
Músico convidado: Sinésio Jeferson
Design Gráfico: João Penoni e Daniel Kucera
Coordenação de Produção: Bianca Fero
Produção Executiva: Luana Lessa

 

Vídeo

Ô, LILI from Cia Marginal on Vimeo.